COMPARTILHE ESTE BLOG

COMPARTILHE ESTE BLOG !

BOTÕES DE COMPARTILHAMENTO

sexta-feira, 11 de agosto de 2017

ELABORAÇÃO DE PLANILHAS AUTOMATIZADAS NO EXCEL

Olá pessoal ! Tudo bem ?

Queria informar que faço planilhas em Excel, com automatização e rotinas de lógica.

Basta enviar-me a sua necessidade, que eu crio uma planilha exclusiva para você e envio por e-mail.

Dá pra fazer quase tudo no Excel, as possibilidades são infinitas.

Há um tempo atrás, por exemplo, uma pessoa me pediu para criar uma planilha para controlar os jogos da Lotomania. E era uma quantidade grande, por volta de 40 apostas de cada vez (creio que devia ser bolão né ?). Imagina só, aquele monte de números que são sorteados na Lotomania, e a pessoa faz 40 apostas. Seria uma verdadeira loucura conferir um por um, rodada por rodada. Aì é que entrou a planilha que eu criei. Nela, a pessoa digitava os números das 40 apostas de cada rodada (que no caso dessa pessoa, eram sempre os mesmos números, todas as rodadas), e aí depois digitava os números sorteados. A planilha fazia a verificação de todos, contando os acertos de todas as apostas e ainda destacando em verde cada número acertado e em vermelho cada erro. Tudo isso de forma automática, instantaneamente.

Outro exemplo acontece aqui onde eu trabalho. Fabricamos equipamentos industriais sob medida e sob demanda. Cada vez que um cliente pede o preço de um determinado equipamento, é necessário fazer o levantamento de toda a matéria-prima necessária para fabricar o equipamento segundo as medidas que o cliente pede. E a quantidade de matéria-prima varia muito em função das medidas. Dependendo do equipamento, um levantamento de matéria-prima pode levar dias. Pois bem, eu elaborei planilhas que fazem isso de forma automática e instantânea, bastando digitar as medidas pedidas pelo cliente, que muitas vezes se resumem a comprimento, largura e altura, e pronto, a planilha informa a quantidade de matéria-prima e o custo dela, pois há na planilha uma folha destinada a colocar o preço de material por unidade, por metro quadrado, por metro linear ou por quilo.

E por aí vai. Portanto, caso precisem, ou conheçam alguém que precise, basta entrar em contato nos comentários da postagem, ok ? Pode também enviar sua solicitação para:   lumarcone75@gmail.com

Fico à disposição.
Grato a todos !
Luciano.

segunda-feira, 31 de julho de 2017

O ATAQUE DAS BONECAS ASSASSINAS

Esta é uma história bastante antiga, que nunca foi divulgada ou publicada em lugar algum, e que cujo manuscrito original esteve esquecido no fundo de um armário na casa de meu pai, por mais de 20 anos.

Foi escrita por mim (Tio Lulu), à época em que eu tinha uns 15 anos, baseada em um sonho que minha irmã Ingrid teve na época. Como todos sabem, tenho duas irmãs mais novas que eu, a outra se chama Gisele. A diferença de idade é de 5 anos para a Ingrid e de 7 anos para a Gisele.

Bem, espero que não se importem com a inocência ou amadorismo da história, pois como disse na época eu devia ter 16 anos, e resolvi transcrever a história tal qual como foi escrita naquela época. Acredito que o ano seja 1990 ou 1991.

Boa leitura !

O ATAQUE DAS BONECAS ASSASSINAS

Era um lindo dia de verão. Os raios de sol cintilavam sobre a cidade, aquecendo-a e iluminando-a, e o vento cantava canções de ninar aos lírios e petúnias.

Para as irmãs Ingrid e Gisele, era mais um dia como outro qualquer, pois brincavam de casinha (ainda estavam em férias escolares). Porém, mal sabiam elas que o destino lhes reservava um futuro sórdido e sombrio. Muitas coisas estavam para acontecer naquela casa.

Bem, voltemos à cena em questão. Elas estavam brincando inocentemente na sala da casa onde moravam com o pai e o irmão, quando Gisele, sem qualquer motivo, começou a contar algo que ouvira de um primo seu há algum tempo atrás. Esse primo, chamado Fabio, disse que ouviu comentários de que, uma vez, desconfiaram de um boneco chamado Fofão, lá no interior, e resolveram abrir o referido brinquedo. Aí então tiveram uma surpresa assustadora: ao invés de encontrarem bolinhas de isopor como enchimento, haviam coisas indescritíveis e assustadoramente misteriosas lá dentro. Não parecia com nada que já tivessem visto, devia ser coisa do além !!!

Quando a Gisele terminou de contar a história, ficou um certo clima de apreensão e de medo naquela sala. Mas para disfarçar o medo, elas mudaram imediatamente de assunto e continuaram a brincar. A Ingrid pegou um boneco "Gordão" (nome do brinquedo, parecia muito com o boneco "Fofão") para ser seu filhinho na brincadeira, e a Gisele pegou a boneca "Gordona" para ser sua filhinha. E começaram a brincar, agora já mais tranquilas.

Mas de repente, o inesperado, o incrível acontece. A Ingrid estava com o Gordão no colo, quando ele inexplicavelmente se mexeu sozinho: levantou a cabeça, olhou para ela e, com um sorriso maldoso nos lábios e um olhar perverso, desferiu um golpe contra o braço direito dela, arranhando-o com unhas que até aquele momento não existiam nas mãozinhas daquele boneco. A reação dela foi imediata e, como que por instinto, ela jogou o boneco no sofá, pegou a Gisele pelo braço, puxou-a, trancou a casa e as duas saíram correndo em direção à casa da nossa avó (a Oma), que fica ao lado.

Lá chegando, deixaram a chave sobre a geladeira azul, que é onde ficam as chaves. Sem coragem para contar a Oma o que havia acontecido, elas aproveitaram e tomaram o café-da-manhã, que já estava na mesa. A Ingrid tampava com a mão esquerda os arranhões em seu braço, para que ninguém visse aquilo. E começou a discutir com a Gisele sobre o que acontecera. De repente chegou o irmão mais velho delas, o Luciano, deu bom dia a elas e perguntou sobre que assunto as duas tanto falavam. Elas não queriam revelar o segredo, com medo de que Luciano não acreditasse e ainda tirasse um sarro das duas, e começaram a dar respostas evasivas, do tipo "não foi nada, só estamos combinando as nossas brincadeiras", e depois acabaram mudando de assunto.

Nisso, elas já haviam acabado de tomar café, e rumaram para a frente da casa delas, agora com Luciano (sempre curioso) na cola. Também os gatinhos de estimação acabaram seguindo os três. Eram dois gatos (Veludo e Juninho) e uma gata (Tininha), pelos quais a Ingrid tinha um carinho enorme.

Quando já estavam na frente de casa, mais precisamente na varanda, as duas continuaram a enrolar o Luciano, que demonstrava enorme inquietação e continuava desconfiando de algo. Aí, para tentar despistar de uma vez por todas a curiosidade do irmão, Ingrid chamou sua maninha para continuar brincando de casinha, agora na varanda, já que estavam sem coragem de entrar na casa e deparar-se com aquele diabólico boneco. Ela foi até a janela do quarto para pegar outra boneca qualquer, enquanto explicava para o irmão que não entrava na casa porque era mais fácil pegar pela janela. Sabemos que a verdade era outra.

Mas quando a Ingrid olhou para dentro do quarto, viu algo que por muito pouco não a fez desmaiar de tanto medo. O que será que quase a fez desfalecer de tanto susto ? A resposta é simples ! Ela acabara de ver o Gordão deitado na cama dela. Até aí tudo bem. Mas como ele poderia estar ali, se ela havia o largado no sofá da sala ? E ninguém havia entrado na casa desde então.

Então ela teve o impulso de adentrar sua mão no quarto, através da janela, e a encostar no boneco. Isso porque ela queria saber se tudo era real e se os fatos não teriam passado de um sonho ou de uma ilusão. Antes fosse. Qual nada. O boneco repetiu o mesmo procedimento, levantando a cabeça com o mesmo sorriso maquiavélico e olhar perverso, porém agora acrescentando uma gargalhada tenebrosa e sombria, dessas que a gente ouve em filmes de terror quando o monstrão vai atacar o mocinho. Quando ele agarrou o braço dela, a mesma chacoalhou o braço quase que instantaneamente, jogando-o de volta na cama. Aí então, ela saiu correndo em direção à varanda da frente. Chegou lá chorando, com o braço ainda mais arranhado, e foi aí que o Luciano viu tudo e perguntou:

- Ingrid, o que aconteceu ?

- O Gordão me arranhou o braço - respondeu Ingrid com voz de choro.

- Queeeeeê ???? - retrucou Luciano.

Aí não teve jeito. Gisele acabou explicando tudo o que havia ocorrido. A princípio, ele não acreditou muito naquilo, e achou que estava sendo logrado. Mas aí ela mostrou o braço para ele, que perguntou:

- PelamordeDeus !!! Que que aconteceu aí nesse braço ???

- Já disse - respondeu Ingrid.

- É, realmente isso não poderia ter sido feito por um gato - refletiu Luciano.

- Vamos até a casa da Oma. Lá a gente vê o que faz - continuou Luciano.

Aí cada um pegou um gato. Afinal, os três gatinhos de estimação também estavam lá na frente da casa. O Luciano pegou a Tininha, a Gisele pegou o Juninho e a Ingrid pegou o Veludo. E se foram.

Mas quando estavam passando em frente à já mencionada janela do quarto, o Veludo soltou-se e resolveu pular lá pra dentro, e a Ingrid não pôde evitar. O gato pulou mesmo, e foi-se deitar na mesma cama em que estava o boneco Gordão. Aí bateu o desespero na Ingrid. Logo o gatinho que era o xodó dela... Gritou mesmo:

- Aaaiiiiii, naaaaaaãoooooo !!!!!!!!!!!

Então, fez o que não devia. Enfiou a mão janela adentro, na tentativa de recuperar e pegar o gato. Nisso, o Gordão, que estava imóvel e inexpressivo, deitado e virdo com a face para cima, levantou-se, agora já com seu sorriso maquiavélico e olhar perverso, e investiu contra o braço da Ingrid novamente, mas agora com mais violência. Fazendo isso, pronunciou algumas palavras com imenso sarcasmo e repugnância:

- Eu te mato ! Eu te mato ! - dizia ele vigorosamente.

Enquanto isso, cravava suas enormes e afiadas unhas no braço da coitada. O sangue brotou e jorrou vermelho, espesso, como um chafariz. A Ingrid, preocupando-se mais com o gato do que com ela própria, gritou:

-Fique longe do meu gato !

Nisso, a Ingrid olhou para um canto do quarto, e o que viu quase que lhe valeu um desmaio. A boneca Gordona e duas bonecas "Xuxinha", que lá estavam, começaram a marchar em direção à cama onde estava o Gordão, e perguntaram a ele:

-Precisa de ajuda ?

-Não, eu dou conta do recado - respondeu ele.

A Ingrid ainda conseguiu raciocinar, e chacoalhou o boneco, agora com mais intensidade, pois ele lhe agarrava o braço com as duas mãos. Quando se soltou, já havia quase dilacerado o referido membro da Guigui.

Aí então ela teve a ideia: pediu ao Luciano e à Gisele que distraíssem por mais tempo a atenção do boneco, que enquanto isso ela iria lá na casa da Oma pegar a chave da casa deles, que elas haviam colocado sobre a geladeira azul momentos antes. Mas, com que propósito ela iria querer entrar lá ? Ah... A resposta é simples: salvar o gato, é claro !!! Ele estava lá no quarto ainda, ao lado do brinquedo assassino.

Aliás, já que novamente mencionamos o brinquedo, poderíamos fazer uma rápida reflexão sobre como ele teria ficado assim. Seria uma possessão ? Será que baixou um "espírito-de-porco" nele ? Talvez um "POLTHERGEIST" se instalara lá na casa... Não sei. Ninguém sabia o porque daquela situação.

Bem, voltemos à nossa heroína, a Guigui. Nesse momento, ela estava entrando na cozinha da casa da Oma. Sem nenhum alarde, ela silenciosamente caminhou em direção à geladeira azul que se erguia junto a uma das paredes. Como não alcançava para olhar sobre ela, começou a tatear com a mão à procura da chave. Logo a achou. Então retirou-se lentamente do recinto e dirigiu-se de volta ao lar. Atravessou a larga faixa de pedrinhas azuladas que separava uma casa da outra (pois lá não havia muro) e, virando à direita, subiu três degraus que a introduziram na varanda de trás da casa (a popular "área-de-serviço"). Era um prolongamento, em maior largura, do quintalzinho comprido e estreito de ladrilhos vermelho-escuros que margeava a casa formando um corredor que levava até a varanda da frente, e passava em frente às janelas dos quartos. Dessa varanda de trás, ela pôde observar que os dois irmãos ainda distraíam o Gordão.

Então, nossa heroína respirou fundo, introduziu a chave no buraco da fechadura, e girou-a duas voltas no sentido horário (sentido dos ponteiros do relógio), já que se tratava de uma porta que abre para a direita. Pronto ! Era eliminado o último obstáculo que separava nossa heroína dos monstros. Agora seriam só ela e os bonecos. Abriu a porta com cuidado, e continuou a caminhar, sem nenhum ruído. Atravessou o caminho de ladrilhos amarelos da área-de-serviço interna e dobrou à direita, o que fez com que ela atravessasse uma porta de madeira branca e adentrasse a cozinha. Até ali, não havia ocorrido nenhum revés. Tudo corria bem. Continuou andando silenciosamente, passo a passo, minuto a minuto, com uma cautela incrível ! Já havia acabado de sair da cozinha e entrado no corredor de tacos revestidos com uma passadeira de tapete marrom que interligava toda a casa. Três metros agora a separavam da entrada do quarto. Nessas alturas, o coração quase já lhe saía pela boca. Estava "a mil por hora" ! Continuou andando com seus passinhos curtos e precavidos.

Depois de alguns segundos de medo e, acima de tudo, muito cuidado, ela chegou àquela que podia ser a porta de sua destruição. Através dela, poderia sair vitoriosa, ou passar desta para melhor. Parou junto a ela e hesitou por alguns instantes. Mas de repente, uma voz fez-se ouvir dentro dela, ecoando por sua cabeça e dizendo:

- Rápido ! Ou ele morre ! Vá, vá !!!

Então, num impulso de bravura e coragem, ingressou rapidamente no aposento e rumou, já com passos rápidos, para a cama onde estavam o gato e o boneco. Ainda não havia sido notada. Chegou finalmente à cama, pegou o gato e o atirou pela janela que havia ao lado da cama, dizendo aos irmãos:

- Peguem ele, e levem todos para longe !

Nisso, o boneco voltou-se para ela, com aquele sorriso maquiavélico e olhar perverso, e investiu novamente contra aquele braço já tão sofrido de nossa brava heroína. Esta, desesperada, golpeou várias vezes com a mão esquerda a cabeça do boneco. Até machucou um pouco sua linda mãozinha. Aí então conseguiu soltar-se das garras do inimigo. Saiu então correndo em direção à porta. Ainda restavam esperanças para ela.

Transpôs o maior obstáculo que era seu medo, e cruzou vitoriosa a porta de seu quarto. Mas aí, aconteceu o que não poderia ter acontecido: ela olhou para trás ! Aí não deu outra: tropeçou e caiu no corredor, já quase chegando à cozinha. Levantou-se desesperada, e viu que o boneco já vinha saindo do quarto, agora em companhia da Gordona.

Guigui saiu correndo, atravessou a cozinha em disparada, e chegou finalmente à área-de-serviço interna. Os bonecos continuavam vindo, incansáveis, andando de maneira desengonçada e cambaleante, e já estavam entrando no recinto onde já se encontrava, junto à porta, nossa valorosa e intrépida mocinha.

Mas aí a vaca foi para o brejo... É, parece que tudo acabou para ela. É que, quando ela tentou abrir a porta, não conseguiu. Foi misteriosamente trancada, por alguma força sobrenatural, talvez. Ficou tentando, tentando, e nada. Aí, não teve mais escapatória. Os dois bonecos assassinos chegaram até ela, com aquelas gigantescas e afiadas unhas. É, parece que ela estava mesmo nas últimas. Iria ela bater as botas ? Abotoar o paletó ? Passar desta para melhor ? Será que o destino dela seria mesmo ficar nas nuvens, com asinhas, auréola e tocando harpa ?

Bem, voltemos à cena. Eles estavam frente a frente. O boneco Gordão, com aquela impagável e inconfundível expressão assassina, e a boneca Gordona, com um brilho diabólico no olhar. Então, moveram-se em direção à Guigui.

Quando eles iam desferir o golpe fatal e mandá-la para o paraíso, o que acontece ? Será que apareceu o Superman ? Não, pô... Bem, talvez a Sétima Cavalaria ? Também não. Então foi o famosíssimo Indiana Jones ? Menos ainda.

Lamento informar que, quem esperava um duelo paranormal e um final sangrento, pode tirar o cavalinho da chuva...

Sabem como termina esta violenta e sobrenatural história diabólica, bem na hora da morte ???

A Ingrid acorda e vê que era tudo sonho...ha ha ha !!!


FIM

CRÉDITOS

SONHADO POR:          - Ingrid Marcone

ESCRITO POR:            - Luciano Marcone

ELOGIADO POR:         - Gisele Marcone

ESTRELANDO:            - Ingrid Marcone no papel da heroína
                                      - Boneco Gordão no papel do vilão

COADJUVANTES:        - Luciano Marcone
                                      - Gisele Marcone

PARTICIPAÇÃO            - bonecas Gordona e as Xuxinhas
ESPECIAL:                    - os gatinhos da Guigui:Tininha,
                                         Veludo e Juninho

UMA PRODUÇÃO:        - Sonhos da Guigui & Imaginação
                                         Ilimitada

LETRA DA MÚSICA "MANUELA"

É... O Tio Lulu, além de escrever poemas e tocar violão, também já se aventurou algumas vezes como compositor de músicas. Foram poucas (ainda bem...).

Em homenagem ao meu primo Fábio, que tem uma linda filhinha a quem deu o nome de Manuela, transcrevo aqui a letra da primeira música escrita por mim, por volta de 1993.

Talvez por ser a primeira, eu na época nem me preocupei com rimas e métricas. Mas o mais curioso é que "Manuela" transformou-se rapidamente num clássico do rock. O único detalhe é que nunca foi gravada, nunca vendeu CDs e nunca foi apresentada para um grande público. Acho que a maior quantidade de pessoas que ouviu essa música (ao vivo) de uma só vez deve ter sido de 10 pessoas ou talvez um pouco mais.

E mesmo assim ela é considerada pela mídia local (bota local nisso...rsrsrs) como "um grande clássico do rock que nunca foi gravado". Tipo igual àquelas letras de música escritas por Renato Russo que foram encontradas apenas após sua morte e nunca foram gravadas. MEODEOS, que comparação mais besta sô !!!!!!!!!!!!!

Chega de enrolar. Segue a letra. 

MANUELA

(SOLO TÍPICO DA MÚSICA) (tipo assim, tantan-tantantantantantan, tantan-tantantantantantan , nossa que brisa mano hahaha !!!!!!!!!!)

(REFRÃO)
Manuela, Manuela
Manuela, Manuela

Desde a primeira vez que te vi
Não pude mais esquecer
O sorriso mais bonito
Que tão logo me encantou

Assim eu me apaixonei,
Você também por mim.
Foram tempos tão felizes
Até que chegou ao fim

(REFRÃO)

Então tudo se acabou
Você se foi e me deixou
Com saudades
Sem você eu não sou nada

Só me resta agora esperar
Que você um dia
Vá voltar pra mim
Ou então será meu fim

(REFRÃO)

(SOLO DE MÚSICA ESPANHOLA) (será que ainda consigo fazer isso ?????)

(SOLO TÍPICO DA MÚSICA) (You already know, baby...)

Pronto acabou.


É... A letra é meio simplória, pobrezinha, mas pros padrões atuais, acho até que está de bom tamanho...rsrsrs...

HORÓSCOPO DO TIO LULU 4a. EDIÇÃO (TEM CORAGEM ?)

HORÓSCOPO PARA OS PRÓXIMOS 354 ANOS
(PORQUE O QUE REALMENTE IMPORTA NÃO É O TAMANHO DA CARTEIRA MAS SIM O QUANTO DE DINHEIRO TEM DENTRO DELA)

Esse negócio de horóscopo já está mais batido que carro de mulher (háhá falei !!!), mas vamos lá.

As previsões a seguir foram realizadas pelo Mestre Tio Lulu, que é uma verdadeira referência no ramo de astrologia, astronomia, agronomia e agronegócio. Buda ouviu conselhos de Mestre Tio Lulu antes de fundar a religião. Dalai Lama vive se consultando com Mestre Tio Lulu quando não está no Tibet. Veja a seguir a quantidade de besteiras inúteis informações relevantes que Mestre Tio Lulu disponibilizará a vocês.

ÁRIES - Parabéns, hoje é o seu dia de sorte ! E ontem também foi, assim como anteontem ! Isso significa que você teve 3 dias de sorte em sequência, o que quer dizer que você poderá morrer ainda hoje (ou não), afinal, o dia ainda não acabou, e você já teve muita sorte de ter sorte neste dia até o presente momento. E ter sorte num dia não quer dizer que você terá no próximo. Aliás, você tem sorte de ainda estar vivo, eu hein ?

TOURO - Faça muitos amigos hoje, porque se amanhã você estiver na miséria, não conseguirá mais fazer amigo nenhum (pois ninguém irá querer começar uma amizade com um moribundo), mas terá bastante gente para pedir dinheiro emprestado. Afinal, amigo é pra essas coisas (ou não). Se você cuspir no prato em que comeu, azar de quem for lavar a louça uai. Só não cuspa para cima, seu sem-noção.

GÊMEOS - Aproveite o dia para exercitar as panturrilhas, pois assim como você, elas são "músculos gêmeos". Suba e desça escadas à vontade, é a melhor forma de exercitar esses músculos, e ainda economiza uma grana de academia, além de evitar que chatos de academia se aproximem de você. Coma bastante aspargos com maionese, e depois corra para o banheiro, pois isso deverá dar uma dor de barriga fenomenal.

CÂNCER - Aconteça o que acontecer, evite pular de janelas em edifícios com mais de 6 andares. Caso o edifício seja menor que isso, não pule da mesma forma, a menos que pretenda dar um basta nesse período de tempo a que convencionou chamar de "vida". Comer sucrilhos pela manhã pode te deixar com problemas intestinais, mas só se você comer a caixa inteira de uma só vez. Aproveite para comprar aquele celular TOP que você está namorando há tempos. 

LEÃO - Tire uma folga no trabalho e aproveite o dia para procurar um novo emprego, pois se você tirar uma folga assim sem mais nem menos, no seu serviço, provavelmente será demitido. Se isso acontecer, faça como seu primo, o Leão da Montanha, e fuja para as colinas ! Faça um check-up completo com um médico de confiança, pague o IPTU em dia e tenha sempre em mãos o seu título eleitoral quando chegar à zona eleitoral.

VIRGEM - Dia adequado para começar a viagem dos seus sonhos, mesmo que seja de busão até a Barra Funda. Escolha sempre a marca de suas roupas de acordo com a sua disponibilidade financeira. Ou seja, se você for um pobretão, nada de ficar comprando roupas Armani ou bolsas Louis Viton. Vá à 25 de Março ou ao Torra-Torra e faça a festa. Não arrote caviar quando estiver comendo mortadela. A propaganda é a alma do negócio.

LIBRA - Se você estiver na Inglaterra ou em qualquer lugar do Reino Unido, você poderá até valer alguma coisa. Mas aí nesse seu mundinho em que você se fechou, você não vale é nada. Saia da sua concha e pense fora da caixa. Conselho se fosse bom a gente não dava, vendia. Se quiser um conselho que seja bom de verdade, estou vendendo, na promoção sai 5 conselhos pelo preço de 4. Moça bonita não paga mas também não leva. Pronto, falei.

ESCORPIÃO - Saia do bolso de uma pessoa sovina e ajude a transformar o mundo. Depois auto-pique-se e acabe com si próprio. Seja mais um daqueles babacas dando falsos depoimentos na TV sobre como as carnes Friboi mudaram sua vida. Faça isso e você terá alcançado um novo patamar na escala da mediocridade. Derrube velhos mitos que te fazem ficar estagnado. Vá às Casas Bahia, abra um crediário e compre móveis Bartira.

CAPRICÓRNIO - Uma pessoa muito importante irá te visitar hoje. Deixe a geladeira lotada de cervejas de boa qualidade (não vá me comprar Guitz, pelamor !!!). Também compre bastante queijo Gorgonzola e também parmesão. Assine aquele canal de futebol que passa os jogos do Palmeiras. E reserve sua garagem para uma Brasilia vermelha. E aí, já descobriu quem será a pessoa importante que vai te visitar ? =)

AQUÁRIO - Se você está pensando em sair do aquário, quer dizer, do armário, aproveite o dia de hoje. Para que deixar para depois ? Escancara logo de vez essa sua bichice enrustida. Agora, se você for o amante e o maridão chegou de surpresa, aí é melhor continuar escondido no armário mais um pouco. Pode ser que hoje seja o seu dia. Ou não. Conte até dez antes de dar piti em público, ou você terá sua integridade moral questionada.

PEIXES - Pare de ficar cuidando da vida dos outros, a menos que você seja médico ou veterinário. Deus deu a vida para cada um cuidar da sua. A inveja é uma merda. Sai fora zoião. Vá ver se eu estou na esquina. E se você me encontrar lá, não precisa voltar para me contar ok ? Você é um tremendo de um fura-olho. Mas afinal, quem sou eu para julgar alguém ?

TIO LULU ENSINA COMO SAIR DE SITUAÇÕES EMBARAÇOSAS DO DIA-A-DIA - CAPÍTULO 6

ÁREAS PROIBIDAS

A história a seguir aconteceu quando o Tio Lulu tinha uns 20 anos.

Tio Lulu tinha uma amiga que era alguns anos mais nova.

Era um dia ensolarado de verão na praia, e Tio Lulu estava curtindo um refrescante banho de mar.

Então se aproximou a amiga (só amiga mesmo) do Tio Lulu, e começamos a conversar.

Conversávamos ali mesmo dentro d’água. As ondas vinham e nos surravam tentando nos derrubar.

Apesar disso a conversa fluía, o papo estava agradável e até interessante.

Foi quando o inesperado aconteceu.

Após uma onda mais forte, a parte de cima do biquíni da amiga havia abaixado de um dos lados, deixando à mostra...hã...vocês sabem. E o que é pior, ela não havia percebido !

OMG !!!!!!

Situação MEGA embaraçosa ! Uma das maiores saias justas já registradas na história da humanidade !

Agora vamos dar uma pausa nesse falatório para montarmos nosso cenário.

Imagine a seguinte cena: sol escaldante, céu azul, água do mar na altura da cintura, de um lado o Tio Lulu mais perdido que GPS sem pilha, e do outro lado a amiga com a parte superior de seu biquíni arriada em um dos lados e sem se dar conta do ocorrido.

Obviamente que é preciso fazer com que ela perceba o que aconteceu para que possa sanar o problema. Mas, como ?

O que você faria em uma situação como esta ?

Vamos a um rápido joguinho de hipótese x resultado.

A) Você sem nenhum rodeio olha diretamente nos olhos dela e diz “Hei, seu biquíni está abaixado !” Bem, se ela for cara-de-pau como você, pode até funcionar, provavelmente ela daria um sorrisinho sem graça, ajeitaria o biquíni e ainda agradeceria, e bola pra frente, afinal é vida que segue. Mas se ela, ao contrário de você, for mais tímida e recatada, provavelmente sairia da sua frente sem proferir uma única palavra, e talvez nunca mais teria coragem de te ver. Por isso, a alternativa é arriscada, só funcionaria se a amiga fosse bastante desencanada, e pra isso você teria que conhecê-la bem.

B) Você na maior cara-de-pau da paróquia nem tenta disfarçar e OLHA ! Rum... Escolha errada cara-pálida ! Prepare-se para perder sua amiga em 5,4,3,2,1, PERDEU IRMÃO ! Já era. Seu vacilão ! Só lhe resta agora lavar sua cara-de-pau com óleo de peroba pra ver se amacia um pouco e você não pisa na bola da próxima vez. Seu bolha ! Tio Lulu, um verdadeiro gentleman, escolheu a alternativa...

C) Única saída 100% segura. Quando perceber o ocorrido, continue conversando com ela, mas comece a olhar para um lado, depois para o outro, para o céu e depois para o chão, nunca para a frente. Isso acabará fazendo com que a pessoa perceba o problema, e possa resolver discretamente.

Perceberam a sutileza ? Não é necessário dizer uma única palavra sequer sobre o incidente, e ainda concede-se à ela o benefício da dúvida. Por mais que ela desconfie, nunca saberá ao certo. “Será que ele viu ?”, pensará ela, mas nunca terá a resposta.

Tio Lulu agiu dessa forma, e então tudo se resolveu da melhor maneira possível, e a amizade e inclusive a conversa prosseguiram normalmente.

Legal Né ?

TIO LULU ENSINA COMO SAIR DE SITUAÇÕES EMBARAÇOSAS DO DIA-A-DIA - CAPÍTULO 5

PESSOA MALA

Essa pode ser extremamente INútil no dia-a-dia.

Imagine a seguinte situação: você está em um lugar público e, por algum motivo, está parado, seja esperando por algo ou alguém, seja curtindo uma praia, em alguma fila, ou simplesmente descansando, whatever...

Você está super de boa, em um momento "I'm the best and fuck the rest", e não tá nem aí pros moribundos que desfilam ao seu redor.

Tipo um momento zen, aquele desprendimento total e irrestrito, seu espírito quase saindo do seu corpo (calma, não vá morrer agora mané). Você em um instante de total viagem na maionese Hellmans, praticamente se esquecendo que existe um mundo ao seu redor. Ou seja, um momento de total distração, daqueles que acontecem de vez em quando com quase todos nós, pessoas normais.

Eis que de repente acontece algo que, tipo assim, corta completamente seu barato viajante, igual a um estalar de dedos que acorda alguém de um transe hipnótico.

Primeiro vem aquela voz, que você não reconhece porque simplesmente nunca viu mais gordo o proprietário (a) daquela insuportabilidade. Obviamente o cérebro ainda não teve tempo de fazer uma análise dentro do contexto vigente para transformar aquela informação em conhecimento (YEESSSS). Isto posto, você não terá uma reação instantânea, como por exemplo sair correndo antes de olhar para o transeunte, ou pular dentro do primeiro táxi que passar na sua frente.
O momento imediatamente a seguir chega numa fração de segundos, e é o contato visual. Sim, inevitavelmente você acaba olhando para a direção de onde veio aquilo que alguém um dia teimou em chamar de voz. Puta-que-la-merda, sua primeira impressão estava corretíssima, você realmente nunca viu aquele emplastro na sua frente. E agora ?

Se você já está achando essa uma situação complicadíssima, acredite, sempre pode piorar. É que, nesse caso, podemos (e vamos) classificar os "malas" em duas grandes espécies: a) o "mala ocasional"; b) o "mala de fila" (fila de banco por exemplo).

Bem, aí o inevitável acontece: o pereba começa a falar. E, como já era de se esperar, nada de útil sai dali. Afinal, quem tem boca fala o que quer, mas quem tem ouvidos infelizmente acaba escutando o que não quer. Papo mais chato e despropositado. O que é que você tem a ver com a tia do vizinho da prima dele que tá com unha encravada e por isso precisou procurar um podólogo ? Que vão todos pro inferno, ele (a), a tia, o vizinho, a prima e até mesmo o coitado do podólogo (pode isso Arnaldo ?), tranquem-se na casa do capeta e joguem a chave fora, cazzo !

Quando é em fila de banco por exemplo, tem aquele (a) (es) (as) mala (s) que começam a reclamar que a fila tá demorando, ou que o serviço é ruim, e eles sempre esperam que você dê ouvidos e comece a reclamar também, e de repente aquela reclamaçãozinha chata já virou uma manifestação popular, um protesto violento com os "black blocs" vestidos de ninja arrebentando tudo e deitando todo mundo na porrada, caramba, vai ver se eu tô na esquina seu bolha !!!!!

Vamos primeiramente analisar o caso do "mala de fila". É uma situação extremamente embaraçosa e que, a menos que você esteja lá a passeio, você não vai querer abandonar uma fila em que você já está há um tempão por causa de um infeliz maledetto, não importa se é Mezenga ou Bertinazzi (vide novela global "Rei do Gado") !!! A única solução possível nesse caso é você começar a responder apenas "é....hum hum...ahã..." e ficar olhando para os lados. Infalível ! A pessoa vai acabar se tocando e, como não quer criar uma guerrilha armada pela paz no oriente médio, vai acabar parando de falar ou ainda procurando outro infeliz ouvinte.

Agora vamos ao caso do "mala ocasional", também conhecido como "mala aleatório". Lembre-se que nessa situação, você pode (e deve) abandonar o local, pois aquele chato provavelmente não irá embora sozinho, e não sei porque, geralmente a técnica do "é....hum hum...ahã..." não funciona no front de batalha.

Para abandonar o local sem parecer um completo ignorante mal-educado (e você não irá querer ser conhecido assim nas rodas boêmias), use a velha tática de "encontrar aquele velho conhecido". Olhe para o meio da multidão (sempre há alguma multidão por menor que seja) e chame em voz alta um nome que seja o mais comum possível. Tipo assim "João ? É você ?" ou "Maria, espere !". E diga rapidamente ao mala "com licença, desculpe" e já saia, sem esperar ele responder, andando rapidamente na direção do meio da multidão e, o mais importante, NÃO OLHE PARA TRÁS ! E não pare de andar durante 1 km pelo menos.

Se o "mala aleatório" ou "mala ocasional" estiver dentro do busão ou de qualquer lugar que não valha a pena abandonar o posto, use a mesma tática indicada para o "mala de fila", mas após vários "é....hum hum...ahãs...", espere um momento de silêncio (reze para acontecer algum), vá baixando a cabeça e fechando seus olhos e finja que vai tirar um cochilo.

Após todas essas dicas, o mala só não vai se tocar se for um tipo de mala que ainda não descrevemos aqui: o "mala sem alça". No caso do "mala sem alça", não existe nenhuma solução cientificamente comprovada e testada até o presente momento. Caso você saiba de alguma, por favor escreva um comentário expondo sua experiência, pois também quero saber. ;)

Pronto ! Seus "pobremas se acabaram-se" ! Eu "agarantcho" !